Destaque
Publicado em Trabalhos

Aqui no Ateliê do Fusca você encontra!

Aqui no Ateliê você pode contar com os seguintes serviços:

– Check up dos principais sistemas de funcionamento, para identificar como vai a saúde do seu xodó – SERVIÇO EXCLUSIVO!;
– Instalação de luz de led no painel – SERVIÇO EXCLUSIVO!;
– Instalação de sistema de ignição que mantém a originalidade do seu xodó – SERVIÇO EXCLUSIVO!;
– Instalação de segredo para melhor proteção do seu xodó – SERVIÇO EXCLUSIVO!;
– Engraxamento da suspensão;
– Limpeza dos balancins;
– Regulagem de válvulas;
– Limpeza e ajuste do carburador com a configuração dos giglês;
– Limpeza do distribuidor;
– Revisão do sistema de ignição;
– Revisão do sistema de alimentação;
– Revisão do sistema elétrico;
– Troca do cabo do acelerador;
– Troca do cabo da embreagem;
– Troca da bucha do varão;
– Troca de óleo completa;
– Troca de óleo da caixa de marchas;
– Troca das coifas do semi eixo;

– Troca de retentores de rodas;

– Troca das buchas dos facões;

– Regulagem da altura dos facões;

– Limpeza e pintura do assoalho;

Para outros serviços, consulte!

Atendemos no seu endereço! (Niterói, SG e região central do RJ). Avaliamos outras localidades.

email: ateliedofusca@gmail.com
Whatsapp e Telegram: 21-98273-7815

  • WP_20160516_028
    O carinho e o respeito que o seu xodó merece!
Destaque
Publicado em Apresentação

Aircooled – 10 motivos pra você ter um!

Pra você que está pensando em ter um Fusca ou similar, vou apresentar algumas vantagens em ter um carro de personalidade, com mecânica simples, resistente e que se bem cuidado, não deixa nada a dever a um carro moderno.

O Fusca foi adaptado para a guerra em um tempo em que as coisas eram feitas para durar, ele está aí firme e forte até os dias de hoje! Nós vamos morrer e os Fuscas bem cuidados permanecerão. Muitos o criticam e muitos o amam!

A facilidade de manutenção também se faz presente, pois é um carro minimalista. O funcionamento dos carros mais antigos foi usado como base para o desenvolvimento das centrais automotivas mais modernas. Então, entender o funcionamento de um Fusca ou similar é estar no controle dos principais problemas que o mesmo possa apresentar. Acredite, nas piores horas, controle é tudo o que precisamos.

Ele vai aonde qualquer carro vai. Se você acha que velocidade é tudo, pense melhor. Com uma média de 80 a 100 km/h, limite das principais rodovias do país, você chega bem e chega seguro.

Por ser um carro forte, no caminho você pode até dar uma força para aquele motorista que se aventurou off Road com a sua 4×4 e ficou num atoleiro ou caiu num buraco.

Se você apresentasse a um general alemão da segunda guerra um Fusca e um utilitário moderno 4×4, certamente ele escolheria o Fusca. Eis as 10 razões:

1 – Motor resfriado a ar. No mais tenebroso dos desertos ou em situação de seca extrema isso faz toda a diferença, além do que, sobra água pra nós bebermos.

2 – Propulsão traseira e força – não é um 4×4, mas o motor alocado na traseira faz com que o carro seja valente e tenha força suficiente para vencer obstáculos e subir morros.

3 – Em altas altitudes, onde o ar é rarefeito, ele também não deixa feio. Além de não ter a preocupação com o congelamento da água em seu sistema, lá ele é um dos poucos que pode trafegar.

4 – Em alagamentos, onde muitos carros modernos com centrais eletrônicas e última geração não são páreos, lá está o Fusca como um tanque, com a sua aerodinâmica cortando a água, empurrado por seu motor na traseira.

5 – Um Fusca pode ser tão eficiente quanto um carro moderno, se respeitadas as devidas manutenções. Ainda com a vantagem de que esse custo de manutenção, comparado ao de carros mais modernos, é extremamente reduzido.

6 – Em uma situação extrema, seria um dos carros mais confiáveis para se ter a mão devido a sua robustez e simplicidade de funcionamento. Dizem que com um alicate e um arame você conserta um Fusca e eu digo o seguinte: um alicate, um arame, peças acessórias, mais algumas ferramentas básicas e conhecimento sobre o que você está fazendo.

7 – As peças de reposição são fáceis de encontrar em qualquer autopeças.

8- Em uma tempestade eletromagnética de grandes proporções serão atingidos os principais circuitos de transmissão elétrica, rádio e satélites. Imagine um carro moderno funcionando a base de chips e circuitos eletrônicos? A objetividade do Fusca te surpreenderá nesse momento, pois ele não tem nenhum chip, nem circuito eletrônico que deixará de funcionar para deixá-lo inoperante. Enquanto isso, um carro moderno com toda a sua tecnologia não servirá pra nada…

9 – Um Fusca te deixa mais suscetível a fazer novos amigos. Todo mundo tem uma estória de Fusca pra contar.

10 – Por seu valor de mercado em média ser bem mais baixo do que um carro novo é mais fácil e acessível a aquisição pra quem não tem muito dinheiro pra gastar ou não quer o seu orçamento comprometido com longas prestações.

O Fusca ganhou simpatia e notoriedade devido a essas principais características. Mas é um carro que tanto quanto outros, merece a devida manutenção mecânica para que desenvolva todo o seu potencial. Com sua força e resistência, aliada aos conhecimentos básicos do usuário, ele pode se tornar um grande aliado no momento que mais podemos precisar.

Deixe seus preconceitos de lado e perceba que um carro com a mecânica do Fusca e similares pode lhe trazer muitas vantagens!

Imagem1 post

 

 

Publicado em Trabalhos

A volta do Fuscão!

Sim, ele andou meio sumido depois de voltar a roncar, mas foi por uma boa causa. Sua proprietária, Kátia, resolveu presentear o Fuscão com um período em um spa, para fazer um tratamento em algumas imperfeições e pegar um colorido melhor.

Agora, a sua cor ocre marajó está mais reluzente e onde ele passa chama mais atenção do que outrora. Levou uns bons meses pra chegar na finalização de todo o trabalho, mas valeu a espera!

Mas como toda a estória precisa de uma pitada de emoção, na hora de voltar pra casa o Fuscão reclamou, afinal, foram meses convivendo com a poeira no motor parado e na hora da partida se anunciou um vazamento um pouco inusitado. E aí o Ateliê do Fusca entrou novamente em ação para um procedimento de emergência, mas como sempre caprichado, para que o Fuscão enfim, voltasse sorridente pro seu lar!

Agora o Ateliê vai cuidar dos detalhes estéticos e funcionais que ficaram pendentes, além de uma boa limpeza no motor. Em breve, mais novidades!

 

WP_20160523_001
O Fuscão antes da lanternagem e pintura
image_1
O Fuscão depois da lanternagem e pintura!
Publicado em Diversos

Carro antigo é amor, é paciência!

Vejo uma corrida em direção ao estilo vintage ou retrô, desde vestimentas, bicicletas, decoração e claro, carros. Nessa pegada, muitas pessoas que viveram um passado com a presença de modelos que se tornaram clássicos pensam em retomar esse estilo, adquirindo um antigo, independente do modelo. A motivação está ligada a gosto ou mesmo memória afetiva, afinal, quem nunca teve um pai, uma mãe ou um outro parente próximo que já possuiu um Fusca, uma Brasília, Chevette, Caravan, Opala, Corcel, Passat, etc?

Nada de mais até aí, mas tenho a seguinte opinião a respeito de um modelo antigo: não é pra quem quer, é pra quem pode! No sentido de que é necessário aguentar às vezes piadinhas de pessoas sem noção que não entendem a motivação de manter ou adquirir um carro antigo: “Pra quê ficar usando esse carro? Hoje em dia é tão fácil fazer o financiamento de um novo…” Além disso, precisa de paciência pra ir acertando aos poucos seus pequenos problemas, causados geralmente pela falta de cuidado e atenção de longos anos: ignição, carburação, vazamentos, suspensão… Nesse caminho, tem gente que desanima no primeiro desafio…

Pra deixar um carro antigo em forma de novo é preciso paciência e amor. Pois às vezes você mexe aqui e ele reclama ali. Por exemplo, se você melhora a ignição e carburação, a suspensão pode reclamar ou se você mexe numa peça de ignição e fica melhor o funcionamento, outra que aparentemente estava normal, mas desgastada resolve dar o ar da graça e parar de funcionar. Enfim, quem mexe com carros antigos sabe de suas manias e sabe que eles parecem até adquirir personalidade própria.

Eles reclamam, fazem pirraça, mas quando percebem o verdadeiro empenho de quem os cuida e procura cumprir suas exigências com paciência e amor, respondem e colaboram dando-nos em troca o seu melhor, apesar de suas longas décadas de existência. Alguns estão diariamente pelas ruas, outros abrilhantam os encontros com a sua presença. Eles chamam a atenção, aceleram corações e nos fazem lembrar de um tempo em que as coisas eram feitas pra durar!

Então gostaria de dizer umas palavras aos amigos antigomobilistas e mecânicos entusiastas: parabéns pelo empenho, paciência e amor em manterem viva parte de nossa história! Já para aqueles que sonham em adquirir o seu primeiro carro antigo movidos pelo entusiasmo, um alerta: muita calma nessa hora! Pois como eu disse algumas linhas acima, um antigo não é pra quem quer, é pra quem pode!

parque-ecologico-em-maracaja-promove-encontro-de-carros-antigos.jpg
Eles estão bem vivos por aí! créditos: Portal Engeplus.

 

 

Publicado em Diversos

Atenção ao aterramento!

Um dos problemas mais comuns nos Fuscas e similares, além de outros automóveis é a falta de aterramento (ou ligação à massa), que causa entre outras coisas, mal contato e intermitência no funcionamento dos equipamentos, aquecimento de bobina, lanternas e faróis fracos ou com funcionamento indevido.

Em post anterior, citei a questão da escolha da bobina errada para o tipo de ignição usada, o que pode causar transtornos tanto de funcionamento do motor quanto de aquecimento. Se a isso somarmos o problema de falta de aterramento a questão será bem complicada, mas não tão difícil de resolver.

Toda a carroceria de um Fusca faz o trabalho do terra, partindo do contato com o negativo da bateria, porém a eficiência desse aterramento depende das “pontes” entre o negativo da bateria, chassi, caixa de marchas e motor. Essas pontes são as malhas de aterramento. Além disso, é importante verificar os pontos de aterramento de cada item elétrico.

Um teste simples consiste em com um multímetro marcando 200ohm e com o motor ligado, ir testando os diversos pontos de aterramento dos componentes, tendo como referência o negativo da bateria. Qualquer medida a partir de 70ohm indica que a resistência naquele ponto está comprometida, sendo necessário verificar ou reforçar o aterramento.

Uma breve verificação do estado (limpos, bem apertados) ou simples reforço desses pontos de aterramento garante que a circulação da corrente elétrica seja o mais estável possível, diminuindo bastante diversos incômodos de funcionamento e até mesmo fenômenos ditos “inexplicáveis”.

Portanto, olho no aterramento!

Cordoalha de aterramento
Um exemplo de cordoalha de aterramento